Últimas atualizações
Novo endereço do Cognosco: http://www.cognoscomm.com
Diário das pequenas descobertas da vida.
Sábado, 4 de Junho de 2005
Parvs mvndvs
Pequenos mundos</br>
Todas as pessoas do Mundo estão ligadas por uma cadeia de não mais de 6.</br></br>

Eis uma hipótese fascinante. Se se quiser enviar uma carta a uma pessoa qualquer do Mundo basta entregá-la a alguém que se conhece, esse entrega a alguém que conhece e assim sucessivamente e em menos de 6 pessoas a carta chegará ao destino.</br></br>

Trata-se de uma hipótese que, a ser verdade, reforçaria os laços que nos ligam a qualquer outro membro da espécie Homo sapiens.</br>
(Geneticamente esses laços são extremamente fortes, uma vez que todos descendem de uma mesma mulher que abandonou África há milhares de anos. Duas pessoas aleatoriamente escolhidos no mundo são, independentemente da sua etnia, geneticamente mais parecidas entre si do que dois gorilas num qualquer grupo).</br>
A Terra inteira seria uma grande bairro onde todos eventualmente se conhecem.
A distância social humana não é maior do que 6 (ou seis graus de separação).</br></br>

Trata-se de um conceito surgido em 1967 num artigo do psicólogo estado-unidense Stanley Milgram (faço por usar o termo «estado-unidense» por uma questão de rigor. Um «americano» é um habitante do continente americano que engloba muitos países que não são os EUA). Stanley Milgram descobriu que quaisquer dois habitantes dos EUA estão ligados entre si por uma média de 6 pessoas.</br></br>

No entanto ainda não foram encontradas evidências de que este resultado tivesse uma aplicação universal nas redes heterogéneas mundiais. Poucas investigações têm sido feitas para verificar a hipótese da aplicação a nível mundial. E infelizmente, neste Mundo que se faz tanto à base do método científico e da verificação de hipóteses, a ignorância parece ser um fértil terreno para a sua divulgação.</br>
(Ver Scientia in orbis core sobre o paradoxal papel da ciência no Mundo actual)</br></br>

Milgram enviou 60 cartas a recrutas militares do estado do Kansas. Foi-lhes pedido que passassem a carta a um habitante com uma dada morada do estado do Massachusetts. Os participantes podiam apenas entregar em mão a carta a alguém das suas imediatas relações sociais. O artigo inicial (foi mais tarde completado por um outro em 1969) não refere que, apesar de 50 pessoas terem participado neste estudo, apenas 3 cartas chegaram ao seu destino.</br>
O artigo refere contudo que uma delas chegou ao seu destino em apenas 4 dias.
Em experiências similares posteriores a percentagem de sucesso na entrega foi tão baixa que não foi publicada.</br></br>

Estas experiências de Pequenos Mundos, em que os seus vértices estão ligados por menos de 6 ligações, parece depender fortemente na existência de alguns vértices terem um elevado número de ligações. Na questão das ligações sociais se a carta passasse por alguém com muitos contactos socias poderia mais facilmente chegar ao seu destino. Da mesma forma que se se quer visitar uma qualquer região num país quanto mais ligações rodoviárias existirem mais facilmente se a encontra.</br></br>

Qualquer rede de pontos com uma rede de ligações tem a sua condutividade dependente de alguns pontos com um grau de conectividade superior aos restantes e toda a rede passa várias vezes por esses pontos quando se estabelecem ligações entre dois pontos aleatórios. Essas redes incluem as redes neuronais no cérebro, a internet, ligações rodoviárias, a rede social de conhecimentos e muitas mais.</br>
(Sobre ligações e redes de pontos ler sobre grafos em As pontes de Konisberg) </br></br>

A hipótese dos 6 graus de separação entre quaisquer pessoas do mundo, apesar de atraente, carece de fundamentação experimental.</br></br>

Há subgrupos sociais com uma elevada conectividade.</br></br>

ErdosNum desses grupos, o grupo de Matemáticos mundial, em que há uma forte relacionamento social (e consequente rivalidade) existe o que se chama o
Número de Erdös</i> (lê-se «er+dish»). Este número mede a ligação entre Matemáticos que colaboraram directa ou indirectamente com este prolífico Matemático. Quem publicou um artigo com o próprio </i>Erdös</i> tem o número 1, quem publicou com alguém que publicou com alguém que o fez com </i>Erdös</i> tem 2 e assim sucessivamente.</br></br>

Um outro subgrupo com grande conectividade é o dos actores de Holywood, em que o vértice de maior conectividade parece ser o actor </i>Kevin Bacon e qualquer actor de cinema, tetro, televisão, tem igualmente um Número de Bacon</br></br>

Mundo pequeno


Publicado por Mauro Maia às 19:09
Atalho para o Artigo | Cogitar | Adicionar aos favoritos

Cognosco ergo sum

Conheço logo sou

Estatísticas

Nº de dias:
Artigos: 336
Comentários: 2358
Comentários/artigo: 7,02

Visitas:
(desde 26 de Abril de 2005)
no Cognosco
 
Cogitações recentes
Obrigado, João, pela contribuição. Não está no art...
Estive lendo sua cogitação à respeito do cálculo d...
Obrigado, Aleff, pelo apreço pelo artigo. Exatamen...
achei muito interessante essa sua forma de ver a l...
Obrigado, Desejo um bom 2014 também.
Artigos mais cogitados
282 comentários
74 comentários
66 comentários
62 comentários
44 comentários
Artigos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Julho 2016

Março 2015

Dezembro 2014

Outubro 2013

Maio 2013

Fevereiro 2013

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Maio 2010

Janeiro 2010

Agosto 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005