Últimas atualizações
Novo endereço do Cognosco: http://www.cognoscomm.com
Diário das pequenas descobertas da vida.
Sexta-feira, 23 de Setembro de 2011
...

A História é, a par da Matemática, daquelas disciplinas vítima de muitos mal-entendidos e preconceitos desajustados.

Para muitos, História é uma lista enfadonha de datas e nomes de Reis e de relatos de guerras.

Se fosse assim, eu seria mais uma dessas pessoas. Mas eu gosto imenso de História.

A verdadeira História (ou a forma como eu entendo a História): um rio contínuo de acontecimentos, Passado a tornar-se Presente e a encaminhar-se para o Futuro, a fluidez de um organismo vivo sem a rigidez dos objetos inanimados, as datas como ilhas em torno das quais flui o rio da História e não como os alicerces rígidos de um edifício imóvel.

Neste início do segundo milénio da nossa era, é importante fazer um balanço do milénio passado para melhor entender o início deste.

Mil anos não são facilmente reduzidos num pequeno texto nem tenho as ferramentas para o fazer.

Limitar-me-ei então aos 3% da Terra que tanto influenciaram os destinos dos restantes 97% ao longo deste milénio: a Europa Ocidental.

E ainda assim, apenas a alguns aspetos mais salientes.

 

Quando o ano 1 da nossa Era começou, a Europa Ocidental fazia parte do Império Romano.

Ninguém, na altura, lhe chamou o ano 1. Foi apenas 525 anos depois que Dionísio Exíguo criou o Anno Domini e o calendário que, passados 3 séculos (no final do século VIII), foi adoptado no Império Carolíngio. 15 séculos depois, é o calendário usado em contextos internacionais por muitos países, nomeadamente pela ONU (o nome em  inglês é UNO, que é «um» em Latim e deu origem a «unidade», «unido»,... em Português).

O Império Romano estava no seu auge, a mais poderosa entidade política, militar, cultural alguma vez existente ao longo da História Europeia.

Quando o «novo» milénio começou, reinava ainda o primeiro Imperador romano César Augusto, sobrinho de Júlio César (reinou entre 27AC e 14DC). O Império vivia a Pax Romana, um período de 207 anos (de 27AC a 180DC) de estabilidade política e paz militar e que terminou quando o Imperador Marco Aurélio morreu.

Até que, em 376, os Hunos de Átila chegaram à Europa e derrotaram os povos germânicos da fronteira com o Império romano. Fugindo aos cavaleiros nómadas hunos, os Visigodos entraram no Império, saquearam a cidade de Roma e instalaram-se na Península Ibérica durante 200 anos. Atrás deles, vieram os Francos, que se instalaram na Gália que viria a adotar o nome de França (de «francos»). Os Anglos (oriundos do norte da atual Alemanha) e os Saxões (oriundos do moderno centro alemão) instalaram-se na Bretanha (ainda hoje em dia, se designam por Anglo-Saxónicas as pessoas de origem inglesa).

Em 275AD, o Império Romano tinha sido dividido oficialmente em dois (o Império Romano do Ocidente e o Império Romano do Oriente).

O Império Romano do Ocidente foi desaparecendo gradualmente à medida que as tribos germânicas iam alargando os seus domínios. Em 476DC, o último imperador romano do ocidente abdicou sob pressão do líder bárbaro Odoacer.

O Império Romano do Oriente perdurou até 1453, quando os Otomanos conquistaram finalmente Constantinopla, mudaram o seu nome para Istambul e adotaram o símbolo da cidade como o seu: o quarto crescente (que modernamente se associa à religião islâmica apesar de não ser um símbolo religioso. Para mais, ver o artigo Míngua). Esta designação é moderna, os «romanos do oriente» sempre se chamaram romanos e, entre outras designações, chamavam ao seu território «Romania», o que é a origem do moderno nome do país Roménia, que fazia parte deste império (também chamado, muitos séculos depois, de Império Bizantino devido ao antigo nome da cidade: Bizâncio->Constantinopla->Istambul).

 

 

 

 

 



Publicado por Mauro Maia às 09:32
Atalho para o Artigo | Cogitar | Adicionar aos favoritos

Cognosco ergo sum

Conheço logo sou

Estatísticas

Nº de dias:
Artigos: 336
Comentários: 2358
Comentários/artigo: 7,02

Visitas:
(desde 26 de Abril de 2005)
no Cognosco
 
Cogitações recentes
Obrigado, João, pela contribuição. Não está no art...
Estive lendo sua cogitação à respeito do cálculo d...
Obrigado, Aleff, pelo apreço pelo artigo. Exatamen...
achei muito interessante essa sua forma de ver a l...
Obrigado, Desejo um bom 2014 também.
Artigos mais cogitados
282 comentários
74 comentários
66 comentários
62 comentários
44 comentários
Artigos

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Julho 2016

Março 2015

Dezembro 2014

Outubro 2013

Maio 2013

Fevereiro 2013

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Maio 2010

Janeiro 2010

Agosto 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005